domingo, 25 de dezembro de 2016

Lidando com TDA/H em Crianças – Parte1


Como Combater o DDA

No Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA), o indivíduo – criança ou adulto – é incapaz de manter e focar sua atenção. A inabilidade de se concentrar pode ser observada durante os primeiros anos e na infância, mas se torna proeminente principalmente nos anos escolares, quando a criança não se dá bem academicamente. O problema tem se tornado muito prevalente e requer atenção imediata para ajudar o indivíduo a ter um melhor desempenho e melhorar sua funcionalidade. Para ajudar a reduzir a influência do DDA na sua vida ou na vida de alguém, comece com o Passo 1 abaixo.

( 1 ) Parte 1 – Lidando com DDA em Crianças




1.1 Mostre-as seu apoio em casa e na escola. Crianças com DDA precisam de todos os meios possíveis de apoio no problema em superar o DDA. Os pais são vistos como os parceiros superiores nessa luta com o DDA, embora professores também sejam incrivelmente influentes.

• Crianças com DDA podem ter sintomas e necessidades diferentes. Portanto, é importante avaliar a criança para identificar seus pontos fortes e seus desafios para que as estratégias eficazes possam adotadas para apoiar o seu aprendizado.
• Os pais devem estabelecer um relacionamento com os professores do seu filho. É imperativo que os pais compartilhem com os professores suas observações e experiências coma criança e o que eles entendem dela.
• As terapias e o progresso também devem ser comunicados à professora. Isso a ajuda a seguir em frente a partir desse ponto, porque as horas eficazes da maioria das crianças são passadas na escola. Tanto a casa como a escola precisam ser ambientes positivos de aprendizagem.




1. 2 Dê estrutura ao seu filho. Crianças com DDA realmente reagem bem quando há uma estrutura e ordem na vida delas.[1] Elas devem ser ensinadas a serem organizadas o máximo possível. Ajude-a a manter todos os itens que ela usa e precisa de uma forma organizada.

• Encoraje a criança a fazer as coisas sozinha, pois assim ela aprenderá a organizar suas coisas e verá como é fácil localizá-las quando não estão bagunçadas.
• Por exemplo, a criança pode ser ensinada a manter seus papéis juntos em uma gaveta, os livros da escola em um lugar e os livros de casa juntos em outro ligar, assim como pode ser ensinada a usar as gavetas, pastas e bandejas para guardar suas coisas. Dessa forma, ela não terá dificuldade em achar nada.



1.3 Ajude a minimizar suas distrações. Uma criança com DDA acha difícil ficar focada por um tempo considerável. A atenção dela é facilmente roubada por visões e sons ao seu redor. Pode ser até mesmo os próprios pensamentos dela. Essa distração pode interferir na sua habilidade de finalizar suas tarefas. Elas tendem a ficar tão distraída aponto de perder o interesse na tarefa ou se esquecer de completá-la. Por conta disso, distrações externas devem ser afastadas.

• Para minimizar as distrações enquanto a criança estuda, faz o dever de casa ou faz tarefas na escola, faça com que o lugar onde ela se senta para fazer tudo isso seja isolado acusticamente, e livre de portas e janelas.
• Fones de ouvido também podem ser usados para impedir que os sons a atrapalhem. Também ajuda fazer pequenos intervalos, pois elas não conseguem ficar sentadas por muito tempo.


1.4 Ajude-as a ficarem motivadas. Para simplificar as coisas para elas, uma tarefa única pode ser dividida em várias tarefas ou subtarefas. Será fácil para ela trabalhar com isso e monitorar o progresso. Ajude-a a manter a lista de tarefas que ela precisa acabar escrevendo e ao alcance da sua visão para que ela tenha uma referência.

• À medida que a criança realiza algo com sucesso, use como uma plataforma para estimular a sua motivação. Elogie-a, reconheça seu feito não importa o quanto pareça pequeno ou insignificante.
• Uma criança com DDA realmente deseja elogios, apreciação e palavras boas porque ela raramente as recebe. Ela fica em reforços negativos na maioria das vezes. Só se associam a ela palavras como travessa, mal criada, mal educada, preguiçosa, etc.
• Aprecie e recompense-a pelo bom comportamento, não importa o quanto pareça insignificante, porque pode ser apenas um pequeno passo que leva a um passo maior.


1.5 Ensine-as que o mau comportamento é algo que não será tolerado. Quando elas se comportarem mal, faça com que elas entendam que o mal comportamento ou ações inadequadas podem e irão ter consequências. As consequências podem ser dadas na forma de castigos ou suspensão dos privilégios.

• Além das consequências, ajude-as a entender como elas poderiam ter feito algo de forma diferente. Embora o subconsciente delas esteja programado para sempre ser culpadas por um comportamento inadequado, às vezes elas precisam ser corrigidas de forma dura.


1.6 Lide com as instruções cuidadosamente. Crianças com DDA acham extremamente difícil seguir instruções. Vendo-as, você pode ter a impressão de que elas entenderam tudo e que não terão nenhuma dificuldade ao seguir as instruções. Mas na realidade, a dificuldade em seguir instruções é um dos problemas indicativos de DDA. Aqui estão algumas coisas para ter em mente:

• Para tornar o trabalho menos complicado, os passos envolvidos no processo/instruções podem ser divididos em instruções com menos ou menores passos.
• Também ajuda a manter as instruções bem breves, simples e diretas para a criança assimilar facilmente.
• Repita os passos/instruções algumas vezes para elas lembrarem e seguirem.
• As instruções também podem ser dadas por escrito de um jeito em que os passos fiquem destacados com cores diferentes.
• Manter contato visual direto com a criança enquanto se comunica com ela pode tornar mais fácil para que ela siga as instruções.


1.7 Permita que elas trabalhem em várias tarefas. É muito fácil para uma criança com DDA se distrair da tarefa que está fazendo e se perder nos seus pensamentos e imaginação. Ela tem uma atenção e foco muito limitado. Ela acha difícil se sentar e fazer uma única tarefa até o fim. Isso pode fazer com que ela se atrase nas tarefas e projetos. Portanto, a criança pode e deve ser encorajada a ficar trocando de tarefa/projeto.

• Dessa forma, ela tem a liberdade de começar a trabalhar em uma matéria ou tarefa diferente quando o seu interesse em uma matéria acabar. Ela pode ficar trocando entre diferentes tarefas. Esse método pode mantê-la produtiva por um longo tempo.




1.8 Ajude-a a mantê-las seguras. Infelizmente para a criança com DDA, essa hiperatividade não é bem vinda em todos os momentos e lugares. Os afetados pelo DDA não parecem mostrar um senso de tempo, lugar e ação. Eles agem com o estímulo do momento e são descritos como impulsivos. Essa combinação de hiperatividade com impulsão pode ser perigosa não apenas para elas, mas também para as pessoas ao seu redor. Portanto, em certas situações, precisa-se lidar com o DDA com eficiência.

• A melhor forma de controlar os sintomas de impulsão e hiperatividade deve ser desviá-las para outra direção. Os interesses e inclinações da criança devem ser levados em consideração.
• Crianças com DDA podem passar horas infinitas em uma atividade que intriga seu interesse, mas não conseguem se focar em algo que elas não acham interessantes, que sejam repetitivas e chatas. A atenção delas pode ser tomada e feita para seguir instruções se, e apenas se, elas conseguirem se relacionar coma atividade e tarefa.
___________
Referência:
↑ http://www.helpguide.org/mental/adhd_add_signs_symptoms.htm
↑ http://www.takeflightcoaching.ca/the-adhd-food-fix-how-to-fight-adhd-symptoms-with-diet-and-supplements/
↑ http://healthyeating.sfgate.com/iron-zinc-important-minerals-4946.html
.

Nenhum comentário: