sexta-feira, 17 de março de 2017

Marcus Deminco critica a Biblioteca Nacional





.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Vertygo – O Suicídio de Lukas (por: Livro Sem Rabisco)




Multiverso, Delírio ou Fantasia?
Sincronicidade, Coincidência ou Destino?
Universo Paralelo, Alucinação ou Fuga Da Realidade?
– Bem Vindo À Vertygo –

            Dica de leitura nacional pra quem adora mistério. Vertygo, O suicídio de Lukas, aborda, entre outros fenômenos da mente, a teoria da sincronicidade. Será que tudo que está para acontecer tem algum significado?

O livro de Marcus Deminco inicia com o que talvez seja uma das mais difíceis decisões sobre a vida, o suicídio. A que ponto da vida uma pessoa precisa chegar para precisar desistir? E o que faz com que algumas enfrentem tudo sem sequer pensar nessa hipótese?

Lukas de Castro decidiu que aos 33 anos já viveu o suficiente. Fato é que uma depressão tão grande tomou-lhe conta, que nem mais seus mais agradáveis passatempos conseguiam lhe alegrar. Parou de dar antroponímia na faculdade onde lecionava, deixou de lado seu cachimbo e seus discos de Jazz e permitiu somente que a vontade de morrer crescesse em seu interior.

Mas então, qual seria a melhor forma de morrer? Lukas sabia que deveria no mínimo ser de uma forma digna e sem falhas, e são nesses questionamentos que uma ideia lhe passa pela cabeça: 
“O que acontecerá com as faturas dos meus cartões de créditos quando eu morrer? Quem vai pagá-las?”

Com esse pensamento, Lukas decidiu que poderia ter, em seu último dia de vida, todo luxo que do qual se privara até aquele dia. Encomendou seu funeral, desfrutou de um bom almoço, comprou caras lembranças para seus entes queridos e partiu para um hotel de luxo de onde escolhera se jogar.

Mas Lukas, que havia usado seu conhecimento em antroponímia para ligar às "casualidades" do seu dia, não poderia imaginar a surpresa que o encontraria no quarto do hotel: 
Um belo Komboloi grego com a seguinte escrita cravejada: ΚαλώςήρθεςστοΒέρτιγκο (Bem vindo à VERTYGO)”.

A menção à enigmática ilha faz com que repentinamente Lukas mude, mesmo que temporariamente, seus planos, fazendo com que ele embarque em uma viagem alucinante em busca dos segredos de Vertygo.

Amo livros com temáticas diferentes, como é o caso de Vertygo. O autor usa de um certo suspense já na sinopse, nos inserindo profundamente dentro dos sentimentos e pensamentos do personagem. Sabemos que há um mistério nessa trajetória até a ilha, mas a surpresa no final é inimaginável. Considerei o livro um verdadeiro plot twist, daqueles onde todas as suposições não serão o suficiente.

Sou fã dos mistérios do subconsciente e Marcus soube explorar muito bem todos esses aspectos no enredo da história.  Uma leitura envolvente, que com certeza vai surpreender muitos leitores em sua jornada.



_

O autor

https://3.bp.blogspot.com/-5mUP4OWSFOs/WMYCQG_mCLI/AAAAAAAAAU4/uFCpmDnTQLcaaC2tiJHuH4A266NYoTAGgCK4B/s400/marcusdeminco.jpg

Marcus Deminco é Escritor e Psicólogo brasileiro. Professor de Educação Física, tutor de Programação Neurolinguística e Dr. h. c. em Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).







domingo, 12 de março de 2017

Livro sem Rabisco: Vertygo, O suicídio de Lukas

Livro sem Rabisco: Vertygo, O suicídio de Lukas: Multiverso, Delírio ou Fantasia?   Sincronicidade, Coincidência ou Destino?   Universo Paralelo, Alucinação ou Fuga Da Realidade?   – ...

Os Cegos & O Elefante





Há muitos anos vivia na Índia um rei sábio e muito culto. Já havia lido todos os livros de seu reino. Seus conhecimentos eram numerosos como os grãos de areia do Rio Ganges. Muitos súditos e ministros, para agradar o rei, também se aplicaram aos estudos e às leituras dos velhos livros. Mas, viviam disputando entre si quem era o mais conhecedor, inteligente e sábio. Cada um se arvorava em ser o dono da verdade e menosprezava os demais. O rei se entristecia com essa rivalidade intelectual. Resolveu, então, dar-lhes uma lição. Chamou-os todos para que presenciassem uma cena no palácio.
Bem no centro da grande sala do trono estavam alguns belos elefantes. O rei ordenou que os soldados deixassem entrar um grupo de cegos de nascença. Obedecendo às ordens reais, os soldados conduziram os cegos para os elefantes e, guiando-lhes as mãos, mostraram-lhes os animais. Um dos cegos agarrou a perna de um elefante; o outro segurou a cauda; outro tocou a barriga; outro, as costas; outro apalpou as orelhas; outro, a presa; outro, a tromba.
O rei pediu que cada um examinasse bem, com as mãos, a parte que lhe cabia. Em seguida, mandou-os vir à sua presença e perguntou-lhes:
– Com que se parece um elefante? – E Começou uma discussão acalorada entre os cegos. Aquele que agarrou a perna respondeu:
– O elefante é como uma coluna roliça e pesada.
– Errado! – interferiu o cego que segurou a cauda. – O elefante é tal qual uma vassoura de cabo maleável.
– Absurdo! – gritou aquele que tocou a barriga. – É uma parede curva e tem a pele semelhante a um tambor.
– Vocês não perceberam nada – desdenhou o cego que tocou as costas. – O elefante parece-se com uma mesa abaulada e muito alta.
– Nada disso! – resmungou o que tinha apalpado as orelhas. – É como uma bandeira arredondada e muito grossa que não para de tremular.
– Pois eu não concordo com nenhum de vocês – falou alto o cego que examinara a presa. – Ele é comprido, grosso e pontiagudo, forte e rígido como os chifres.
– Lamento dizer que todos vocês estão errados – disse com prepotência o que tinha segurado a tromba. – O elefante é como a serpente, mas flutua no ar.
O rei se divertiu com as respostas e, virando-se para seus súditos e ministros, disse-lhes:
– Viram? Cada um deles disse a sua verdade. E nenhuma delas responde corretamente a minha pergunta. Mas se juntarmos todas as respostas poderemos conhecer a grande verdade. Assim são vocês: “Cada um tem a sua parcela de verdade. Se souberem ouvir e compreender o outro e se observarem o mundo de diferentes ângulos, chegarão ao conhecimento e à sabedoria”.
_________
Conto do budismo chinês. Por DOMINGUES, Joelza Ester.

____________

Os Cegos & O Elefante Em Poesia – John Godfrey Sax
____________

Seis homens sábios do Industão, Uma terra bem distante, Ouviram atentos, os boatos Sobre um animal gigante E apesar de serem cegos Foram ver o elefante.

O primeiro passou as mãos Sobre a barriga dura e falha, E explicou bem confiante:
“Minha análise não falha: Esse tal de elefante Mais parece uma muralha!”

O segundo tocou as presas E proclamou com confiança:
“Este tal de elefante Não é brincadeira para criança. Tão pontudo e afiado Mais parece uma lança!”

O terceiro chegou à tromba Elogiando a bela obra:
“… Tão comprido, e gelado, Vejam só, ele até dobra! O flexível elefante Mais parece uma cobra!”

O quarto sentiu a pata E teve logo a recompensa Percebendo as semelhanças Anunciou com indiferença:
“Este animal mais se parece Com uma árvore imensa!”

O quinto tocou as orelhas E sugeriu conservador:
“Mas que belo utensílio Nestas tardes de calor, Este tal de elefante, Mais parece um abanador!”

O sexto subiu às costas Despencando na outra borda E pendurado ao rabo, disse:
“Não sei se alguém discorda, Mas para mim esse animal Mais se parece com uma corda!”

E então os sábios homens Discutiram inconformados Cada um com seu discurso Sem ouvir os outros lados Pois estavam certos, em partes. Mas completamente errados!

------

sábado, 11 de março de 2017

Próxima Leitora de VERTYGO: @jis_rocha



Gostei muito da sinopse. Louca para conhecer essa história. E todos os e-books do autor estarão de graça nos dias 17/18/19. Mais informações no ig do autor @demincomarcus Sinopse: Multiverso, Delírio, Fantasia? Sincronicidade, Coincidência, Destino? Universo Paralelo, Alucinação ou Fuga da Realidade? -- BEM VINDO À VERTYGO! – A partir dos desvairados pensamentos de um suicida, e através de personagens alusivos à mitologia grega, o livro convida o leitor para uma viagem fascinante, imprevisível e cercada de mistérios: entre as incríveis coincidências que desafiam o acaso (Sincronicidade), e a coexistência de Universos Paralelos a nossa realidade, mas que só podem ser acessados quando – em decorrência de algum evento extremamente traumático – ocorre uma espécie de ruptura com a lucidez, e transtornada a pessoa passa a viver simultaneamente dentro de uma Realidade Alternativa. E foi mais ou menos isso que aconteceu com Lukas naquela manhã [...]

Uma publicação compartilhada por nossas leituras💕 (@jis_rocha) em

segunda-feira, 6 de março de 2017

VERTYGO - O Suicídio de Lukas - Porl @ivresee



Salve,queridos! Hoje venho compartilhar com vocês um pouco de #vertygo ,livro do meu autor parceiro @demincomarcus a quem só tenho a agradecer pela confiança ❤ Nesse livro conheceremos Lukas (não Lucas , Lukas com "K"! ) , um suicida que já tem em mente sua morte programada e idealizada. Um homem intelectual , professor de antroponímia que mesmo possuidor de um nome "luminoso" não vê mais brilho na vida. Durante o seu dia de preparação para a morte ,Lukas assiste uma missa , faz compras ,esbanja , vai no melhor hotel e usufrui do melhor cachimbo com um esqueiro memorável, se apaixona por uma voz... Nada consegue despertar o interesse dele pela vida , exceto um belo komboio que encontra ,onde tem escrito "Bem-vindo a Vertygo". _Então Vertygo realmente existe ?? E vocês ,queridos ? Já leram? Gostaram ? #livro #libros #livros #book #books #ler #love #literatura #amoler #leitura
Uma publicação compartilhada por livre-se (@livresee) em