sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A CARROÇA VAZIA



Certa manhã bem cedo, o meu pai convidou-me para ir ao bosque a fim de ouvir o cantar dos pássaros. Acedi com grande alegria e lá fomos nós, umedecendo os nossos sapatos com o orvalho da relva. Ele se parou numa clareira e, depois de um pequeno silêncio, perguntou- me:

-- Você está ouvindo alguma coisa além do canto dos pássaros? Apurei o ouvido alguns segundos e respondi:

-- Estou ouvindo o barulho de urna carroça que deve estar descendo pela estrada.

-- Isso mesmo... Disse ele. É uma carroça vazia...

De onde estávamos não era possível ver a estrada e eu perguntei admirado:

-- Como pode o senhor saber que está vazia?

-- Ora, é muito fácil saber que é uma carroça vazia. Sabe por quê?

-- Não! Respondi intrigado.

Meu pai pôs-me a mão no ombro e olhou bem no fundo dos meus olhos, explicando:

-- Por causa do barulho que faz. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.... Não disse mais nada, porém deu-me muito em que pensar.

Tornei-me adulto e, ainda hoje, quando vejo uma pessoa tagarela e importuna, interrompendo intempestivamente a conversa de todo o mundo, ou quando eu mesmo, por distração, vejo-me prestes a fazer o mesmo, imediatamente tenho a impressão de estar ouvindo a voz de meu pai soando na clareira do bosque e me ensinando:

Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz!

Um comentário:

BLOG DO PROFEX disse...

Marcus, quanta carroça vazia por aí. Principalmete neste mundo da informação onde o marketing e o photoshop dão as cartas...
Grande abraço!